terça-feira, 28 de julho de 2009

Falta apenas a licença

JORNAL DE BRASÍLIA - 28/07/09

Obras serão iniciadas assim que houver liberação do Ibram

Brasília, a cidade sonhada por Dom Bosco e concretizada por Juscelino Kubitschek, já contabiliza quase 1,1 milhão de carros nas ruas, segundo dados do Detran. O número de veículos é visivelmente maior do que o esperado. Prova disso é a quantidade de engarrafamentos, principalmente nas horas de pico. Para tentar solucionar o caos, algumas medidas estão sendo tomadas pelo governo do DF. A integração do transporte público, a Linha Verde e o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) são as grandes promessas.

Este último, também conhecido como Metrô Leve, é o que tem causado maior expectativa entre os moradores do Plano Piloto. Com as obras previstas para começarem nos próximos meses, o transporte deve trazer uma alternativa moderna e Mfuncional para o trânsito de Brasília. "Será um transporte de alta qualidade, seguro e rápido", ressalta o diretor-presidente do Metrô-DF, José Gaspar de Souza. Segundo ele, o transporte vai além de medidas para o turismo ou para a Copa do Mundo de 2014. "A ideia é melhorar as condições do transporte público do DF", afirmou ele, em audiência pública realizada ontem no auditório do Senac, na Asa Sul, com a presença de cerca de 200 pessoas.

O início das obras está próximo. Falta apenas uma licença do Instituto Brasília Ambiental (Ibram). "Após a licença concedida, a previsão é que as obras comecem dentro de 15 dias", conta Gaspar. A primeira etapa de obras será o trecho 2, que tem 8,7 quilômetrose liga o Terminal Asa Sul à 502 Norte. "Serão cerca de 12 meses de obra", ressalta. O trecho 2 foi orçado em R$ 800 mil. O projeto todo, que ainda conta com o trecho 1 (6,5 quilômetros, ligando o Aeroporto ao Terminal da Asa Sul) e o trecho 3 (7,4 quilômetros, ligando a 502 Norte ao Terminal da Asa Norte), deve custar R$ 1,55 bilhão.

REVITALIZAÇÃO DA W3

O Terminal da Asa Sul será uma área de integração, com estacionamento gratuito. A intenção é que seja um dos principais pontos de integração do transporte do DF.

Entre os principais objetivos do projeto, está a revitalização da W3 Sul. "Esse é um projeto antigo da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seduma) e busca dar uma nova cara para a via", explica o diretor-presidente do metrô José Gaspar de Souza.

Um novo paisagismo faz parte da revitalização. Para a construção do VLT, as árvores do canteiro central da W3, local onde o trem circulará, devem ser arrancadas. Mas o cuidado com o meio ambiente é uma das prioridades do projeto. "Quando for possível, as árvores serão replantadas. Para aquelas que não puderem ser reaproveitadas, três novas árvores serão plantadas no lugar", ressalta Gaspar.

A preocupação com o meio ambiente também está na qualidade do ar. Segundo o diretor-presidente, a construção do VLT prevê a retirada dos ônibus da via e consequentemente a redução da poluição.

Serão construídas 21 estações ao longo do Plano Piloto e quatro que levam ao Aeroporto. "Os trechos serão construídos na sequência das quadras. As interrupções nos atuais cruzamentos da W3 serão feitas de forma paulatina", ressalta Gaspar.

Uma das preocupações da população é em relação ao estacionamento ao longo da W3 Sul. Mas o diretor-presidente do metrô garante que existem soluções previstas. "Quando se fala de estacionamento na W3, se fala de vagas que não existiam, que foram improvisadas. Uma das idéias é ampliar o número de vagas na W2", explica. A previsão é que sejam retirados alguns estabelecimentos comerciais, como oficinas mecânicas.

ENQUETE

O que você acha da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos em Brasília?

"Eu acho muito necessário. É uma forma de desafogar o trânsito e diminuir o número de

carros" Maria do Carmo, 71 anos, aposentada.

" Acho extremamente importante, pois todo país em desenvolvimento precisa de investimento em transporte" Márcio Zaidan, 33 anos, comerciante.

"Eu não acho importante. Acho que cortar as árvores vai prejudicar o paisagismo da cidade e o meio ambiente" Jane Cleide de Sousa Avelino, 18 anos, estagiária.

"Acho que a Asa Sul já tem problemas com estacionamento, que usa até o canteiro central. Com a construção do VLT, onde os carros vão parar?" Joarez da Silva Neto, 28 anos,publicitário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário